'Em discussão', passaporte da vacina não deve ser adotado na Câmara de Dourados


O presidente da Câmara Municipal de Dourados, vereador Laudir Antonio Munaretto (MDB), diz que eventual exigência do passaporte da vacinação contra Covid-19 para entrada no prédio ainda precisa ser discutida. Opina, no entanto, que a medida é desnecessária, não só no prédio da Casa de Leis, mas para acesso em eventos e locais.


Câmaras municipais das principais cidades de Mato Grosso do Sul foram provocadas quanto ao assunto, depois que a Câmara Federal anunciou a adoção da exigência, para retomada dos trabalhos presenciais na capital federal. A Casa de Leis de Campo Grande, por exemplo, também não deve requerer comprovante, segundo o presidente, vereador Carlos Augusto Borges, conhecido como Carlão (PSB).


Em Dourados, segundo maior município do Estado, o presidente da Casa de Leis afirma que 'acredita' que a maioria dos servidores e vereadores tomaram as duas doses da vacina, o que reforçaria a desnecessidade de exigir comprovante.


A discussão sobre o tema já foi maior em Mato Grosso do Sul quando foi anunciado que a apresentação se tornaria obrigatória por meio de projeto de lei na Alems (Assembleia Legislativa de MS). Mas, dias depois, o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) disse que a medida não era prioridade.

Mais Lidas
Leitura Recomendada

Este conteúdo está sendo cadastrado

Procurar por Tags
Siga a UCVMS
  • Facebook Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Instagram