top of page

Vereador sugere criação de Fundo e Comitê de Prevenção e Proteção dos Incêndios Florestais no Pantanal


Os riscos de mais um desastre ambiental na região, com riscos de superar o ocorrido em 2020, levou o vereador Chicão Vianna a sugerir às autoridades competentes, todos os esforços possíveis e necessários para a criação de um Fundo e do Comitê de Prevenção e Proteção dos Incêndios Florestais no Pantanal, com vistas a ações mais imediatas tanto na prevenção, como no combate às chamas.


A sugestão foi feita na sessão de ontem, terça-feira, 25, por meio de indicações direcionadas ao prefeito Marcelo Iunes, para que o Município busque a criação desse comitê, bem como ao secretário de Meio Ambiente, Desenvolvimento, Ciência, Tecnologia e Inovação, Jaime Verruck, para que o Governo Estadual interceda em favor desse órgão, bem como ao presidente Lula, para, por meio do ministério competente, crie um Fundo para Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais no Pantanal.


Chicão citou que o Comitê pode ser formado por membros do Poder Público e de empresas privadas, como empresas de exploração de recursos naturais, ONGs, fundações e outros organismos interessados.


O vereador levou em consideração que na região existem inúmeras empresas, como as mineradoras, por exemplo, que contam com equipes isoladas de prevenção e resgate, inclusive com equipamentos modernos e caminhões-tanque para transporte de água, demonstrando claramente ser possível  criação desse comitê.


O Pantanal é a fonte de sustento de todos, sejam pessoas físicas, jurídicas, de direito privado ou público, seja pelo potencial extrativista, ambiental ou turístico. Portanto, é dever de todos, em comunhão de esforços, promover a prevenção dos incêndios, o que gera, inclusive, economia de recursos no combate, pois, como se sabe, quanto maior o incêndio, maior é a necessidade do direcionamento de recursos para o combate, sendo, portanto, mais eficaz do que o combate tardio”, enfatizou.


Chicão justificou ressaltando que os incêndios no Pantanal têm consequências significativas para o ecossistema e a biodiversidade, além de emissão de gases de efeito estufa, contribuindo para o aquecimento global e mudanças climáticas, além de problemas de saúde para o ser humano, impactando na qualidade do ar, causando alterações no ciclo hidrológico, prejuízos econômicos, impacto nos solos, na fauna e flora pantaneira, entre outros problemas que podem se tornar irreversíveis com o passar do tempo.


Ao Governo Federal, o vereador sugeriu a criação de um Fundo para Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais, tendo em vista a seca que assola a região em proporções catastróficas, e que serve como combustível para a ocorrência de incêndios igualmente catastróficos, como em 2020 e agora, em 2024.


Ocorre que, estudos indicam que essa estiagem severa pode se repetir pelos próximos cinco anos, sendo muito provável que haja grande potencial de novos incêndios de larga escala nesses anos, caso não haja uma prevenção eficaz”, observou.


O Pantanal é considerado Patrimônio Natural da Humanidade e Reserva da Biosfera pela Unesco, sendo de grande importância para manutenção da fauna e da flora do nosso planeta por ser a maior planície alagável do mundo. Portanto, é necessário que haja cooperação de esforços entre todos os entes da Federação, seja a União, o Estado de Mato Grosso do Sul, Estado de Mato Grosso e todos os municípios localizados na região pantaneira para que seja possível a realização de uma prevenção eficaz, para que não ocorram mais catástrofes ambientais como já ocorridas”, enfatizou, lembrando que o Fundo poderá contar com adesão de todos os interessados na prevenção e no combate dos incêndios florestais no Pantanal.


Na mesma sessão, o vereador teve aprovado requerimento em que homenageia com Moção de Congratulação e Aplausos, a direção do Gaby Lanches pelos seus 32 anos de muito trabalho e dedicação, atendendo a população com seu excelente trabalho.


Assessoria da Câmara

Commenti


bottom of page